Projeto que torna crime dirigir embriagado pode ser votado na CCJ da Câmara, nesta quarta-feira (11)

A denúncia contra o presidente Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, realizada pela Procuradoria-Geral da República deve voltar à pauta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados só após o feriado, no próximo dia 17. Na terça-feira (10), o relator da denúncia na comissão, deputado Bonifácio de Andrada leu seu parecer que é favorável ao arquivamento do processo contra Temer.

Nesta quarta-feira (11), véspera de feriado, a Câmara dos Deputados vive clima tranquilo. Na pauta da CCJ não há nenhum documento sobre a denúncia de Temer para ser discutido, porém, um Projeto de Lei que pode mudar o Código Nacional de Trânsito para tornar crime a embriaguez ao volante pode ser votado. O projeto é de autoria da deputada Keiko Ota, do PSB paulista, e prevê pena de cinco a oitos anos de prisão para o motorista que causar a morte de outras pessoas no trânsito sob o efeito de bebidas alcoólicas. O projeto tramita na CCJ em regime de urgência.  

No plenário da Casa, não há sessões deliberativas marcadas para esta quarta-feira e a agenda para a próxima semana ainda não foi publicada pela mesa diretora da Câmara.