Após condenação de Lula, mercado econômico brasileiro reage

 

A notícia da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde da quarta-feira (12), provocou reações no mercado econômico brasileiro. Por volta das 15h, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançou 1,39%. No mesmo horário, o dólar comercial caiu 1,41%, custando R$ 3,207 na venda. O pregão, que vinha subindo 0,6% por volta das duas da tarde, acelerou para 1,14% depois da sentença do juiz Sérgio Moro, da Lava-Jato.

É a primeira vez que um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção. Contudo, a sentença publicada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro permite que Lula recorra em liberdade.

 

As acusações

O ex-presidente foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em um processo que envolve o caso da compra e reforma de um triplex no Guarujá, no litoral de São Paulo. 

A denúncia contra Lula, que foi apresentada em setembro de 2016 pelo Ministério Público Federal, acusa o ex-presidente de receber propina da empreiteira OAS como parte de acertos do PT em contratos na Petrobras. Segundo o Ministério Público Federal, Lula participou de forma consciente do esquema e recebeu da OAS um total de R$ 3,7 milhões em vantagens indevidas.

No dia 10 de maio Lula depôs por cinco horas e, no início do depoimento, Moro disse ao ex-presidente que ele não seria preso na audiência. Um pouco mais de três meses depois, veio a sentença do juiz contra o petista. Mesmo assim Lula não será preso imediatamente. Ele só vai começar a cumprir a pena se a segunda instância ratificar a decisão. Se isto não acontecer até as eleições de 2018, ele não vai ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e vai poder se candidatar.

Além de Lula ser acusado de ter recebido um triplex em Guarujá, como propina de empreiteiras e de ter ocultado tal patrimônio, ele é acusado de ser o dono de um sítio em Atibaia que frequenta, também recebido como vantagem indevida de empreiteiras, e de ter ocultado tal patrimônio. Lula também é acusado de utilizar o Instituto Lula e a empresa de palestras para recebimento de vantagem indevida de empreiteiras. Fora isto, o ex-presidente é suspeito de participar, junto com outros políticos e empresários, de uma organização criminosa para fraudar a Petrobras.

As acusações não param por aí. Lula também é acusado de obstruir a Justiça ao atuar na compra de silêncio de Nestor Cerveró, de obstruir as investigações da Lava Jato tomando posse como ministro de Dilma para obter foro privilegiado, de receber propina da Odebrecht, operada por Antonio Palocci ao PT, por meio da compra de terreno para o Instituto Lula e do aluguel de um apartamento ao lado de onde ele mora.

O fato é que esta condenação na esfera penal é inédita no país. Agora, só nos resta aguardar para ver os desdobramentos de mais um caso polêmico no cenário político brasileiro.